Differences in National Diabetes Treatment Patterns and Trends between Older and Younger Adults 2019

Este artigo discute as tendências no tratamento farmacológico do diabetes mellitus tipo 2 entre adultos e idoso   na última década (2006 a 2015). No idosos houve uso mais conservador de fármacos. Há uma tendência de redução no uso da metformina, provavelmente pela presença de doença renal crônica no idoso. Da mesma forma, o uso de fármacos agonistas do GLP-1 ainda é pequeno.  Há uma clara redução no uso das tiazolidinedionas (glitazonas) em todas as faixas etárias, particularmente nos idosos. As sulfoniluréias ainda são bastante utilizadas nos adultos e percebe-se também uma evidente redução no seu uso na população idosa. Todavia, os autores alertam que ela é ainda utilizada excessivamente nos idosos, em especial a glibenclamida, nos quais o risco de hipoglicemia é significativa, sendo contraindicada. Houve aumento significativo no uso dos inibidores da DPP-4 em ambos os grupos, particularmente nos idosos, provavelmente pelo menor risco de hipoglicemia. Outro achado relevante é a maior utilização de insulina de longa ação na população idosa. O alerta é que cerca de 2/3 dos idosos ainda são tratados com fármacos de 2a linha, como as sulfoniluréias e insulina de longa ação (NPH), que apresentam alto risco de hipoglicemia no idoso.

ID: 155

Observações
Necessário Logar